24 de julho de 2011

Já temos a Música que abrirá o Baile do dia 06 de agosto

Este link apresenta a primeira música para o Baile do dia 06 de agosto de 2011, no qual, com os Impossíveis faremos um Tributo à Legião Urbana. Espero que agrade a todos!


http://youtu.be/2vdmohB4WXo

O trigo e o joio

Vimos nas leituras de domingo passado que Jesus Cristo sentou-se no barco e ensinou uma série de parábolas à multidão. As parábolas que são proclamadas no Evangelho desse domingo são as do Joio, do Grão de Mostarda e do Fermento. Depois de algum tempo falando em parábolas, Jesus despede-se da multidão e entra na casa com seus discípulos. Então o Senhor dá explicação aos seus discípulos sobre o significado da Parábola do Joio e do Trigo.
O Catecismo (546) ensina: “Jesus convida a entrar no Reino por meio das parábolas, traço típico de seu ensinamento. Por elas, convida ao festim do Reino, mas exige também uma opção radical: para adquirir o Reino é preciso dar tudo; as palavras não bastam, são necessários atos. Jesus e a presença do Reino neste mundo estão secretamente no coração das parábolas. É preciso entrar no Reino, isto é, tornar-se discípulos de Cristo para “conhecer os mistérios do Reino dos Céus” (Mt 13,11). Para os que ficam “de fora” (Mc 4,11), tudo permanece enigmático”.
Resumo da Parábola do Joio:
Jesus ensina que um homem semeou a boa semente (o trigo) no campo, veio então o inimigo e semeou o joio no meio do trigo. O trigo cresceu e deu fruto, mas o joio cresceu também no meio do trigo. Os servidores perguntaram se era para cortar o joio, mas o dono do terreno pediu que só cortasse o joio na época da colheita, para não correr o risco de cortar junto o trigo. A mando do dono do terreno, os ceifadores irão cortar primeiro o joio e queimá-los e, o trigo será colocado no celeiro. Essa narração está nos versículos de 24 a30. A explicação de Jesus Cristo da parábola do Joio e do Trigo aos seus discípulos está nos versículos de 36 a 43. 
Vamos refletir a explicação da parábola do Joio, dada por Jesus Cristo:
O que semeou a boa semente é o Filho do Homem – Jesus Cristo, Filho de Deus, é quem semeia a semente (a Palavra), pois Ele mesmo é o Verbo - a Palavra. O Papa Bento XVI dando instrução aos evangelizadores disse: “A Palavra de Deus, que vós sereis chamados a semear a mãos-cheias e que tem em si a vida eterna, é o próprio Cristo, o único que pode mudar o coração humano e renovar o mundo”. A Palavra de Deus fala: “Pois fostes regenerados não de uma semente corruptível, mas pela Palavra de Deus, semente incorruptível, viva e eterna”. (1 Pr 1,23) Quando a semente da Palavra cai em nosso coração é o próprio Cristo que ali faz morada. Jesus é a personificação da Palavra.
O campo é o mundo – A Igreja pela ordem de Jesus (Mc 16,15) vai para o mundo (campo) jogar a semente da Palavra,  para que todos tenham acesso à salvação, pela remissão dos pecados, em Jesus Cristo Nosso Senhor. O Beato João Paulo II disse: “Esta é a “boa nova” onde se há de encontrar a fonte da esperança para cada homem e mulher! Esta é a semente evangélica que Cristo, depois da sua ressurreição, confiou à Igreja para que ela consiga semear no solo da história. “Deus é amor”! (1 Jo 4, 8.16) e a sua providência alcança todas as criaturas. O supremo sinal deste amor é o sacrifício do seu único Filho e o dom do Espírito Santo que renova o coração humano e a face de toda a terra”.
A boa semente são os filhos do Reino – Todos nós que fomos batizados somos convidados a assumir a filiação divina que o Espírito Santo nos outorgou. (Rm 8, 15) A Palavra de Deus diz: “Pois todos os que são conduzidos pelo Espírito de Deus são filhos de Deus”. (Rm 8,14) O Papa Bento XVI ensinou: “Só os santos, homens e mulheres que se deixam guiar pelo Espírito divino, prontos para fazer escolhas radicais e corajosas à luz do Evangelho, renovam a Igreja e contribuem, de modo determinante, para construir um mundo melhor”. Quanto mais buscarmos andar conforme os desígnios de Deus, mais seremos testemunhas de boa semente para o mundo.
O joio são os filhos do Maligno – A nossa sociedade está repleta de ações que não vem do bem. Todos nós de alguma forma contribuímos para que isso ocorra, porque temos uma natureza fraca e predisposta ao pecado. Mas a oração; a frequência à Igreja; os atos de caridade fraterna; a obediência a Deus farão a diferença no mundo. Mas muitos preferem seguir o tentador e não a Deus. É o joio que o Maligno coloca no mundo para fazer perder as almas. O Papa Pio XII explicou: “O mal moral, certamente, não pode provir de Deus, perfeição absoluta; nem das técnicas em si mesmas, que são dons preciosos Seus; mas só do homem, que, sendo dotado de liberdade, abusa dessas técnicas e difunde conscientemente o mal moral, colocando-se do lado do príncipe das trevas e constituindo-se inimigo de Deus”.
O inimigo que semeia é o demônio – O mal é obra do demônio do qual ele incita o homem e a mulher a cometerem. O Papa Paulo VI disse: “Ele é o inimigo número um, o tentador por excelência. Sabemos, portanto, que este ser mesquinho, perturbador, existe realmente e que ainda atua com astúcia traiçoeira; é o inimigo oculto que semeia erros e desgraças na história humana”. Jesus disse: “Vigiai e orai, para que não entreis em tentação. Pois o espírito está pronto, mas a carne é fraca”. (Mc 14,38) O Beato João Paulo II também disse sobre a semeadura do joio pelo demônio: “Cultivar a semente distribuída, completar a construção iniciada, educar aquilo que nasceu, até que Cristo seja formado em vós (Gál. 4, 19). Isto requer uma atenção constante e cuidadosa; de fato, segundo a parábola de Jesus, não é, infelizmente, impossível adormecermos e favorecer assim a intervenção do “inimigo” semeador de joio”.
A colheita é o fim do mundo – No final dos tempos Deus vem fazer a colheita do trigo e colocá-lo no celeiro. São Paulo diz assim na Palavra: “Resta-me agora receber a coroa da justiça, que o Senhor, justo Juiz, me dará naquele dia, e não somente a mim, mas a todos aqueles que aguardam com amor a sua aparição”. (2 Tm 4,8) O Catecismo (681)também diz: “No dia do juízo, por ocasião do fim do mundo, Cristo virá na glória para realizar o triunfo definitivo do bem sobre o mal os quais, como o trigo e o joio, terão crescido juntos ao longo da história”.
Os ceifadores são os anjos – Jesus Cristo nos revela que os seus anjos virão com Ele no final dos tempos para retirar os maus que estão no meio dos bons (como o joio no meio do trigo) e, lançá-los na fornalha ardente. A Palavra diz: “E Quando o Filho do Homem voltar na sua glória e todos os anjos com Ele, sentar-se-á no seu trono glorioso. Todas as nações se reunirão diante dele e ele separará uns dos outros, como o pastor separa as ovelhas dos cabritos”.(Mt 25, 31-32) Também o Beato João Paulo II ensinou: “Somente no fim da história é que o Senhor voltará glorioso para o juízo final ( Mt 25, 31), com a instauração dos novos céus e da nova terra ( 2 Ped 3, 13; Ap 21, 1), mas, enquanto perdura o tempo, a luta entre o bem e o mal continua, mesmo no coração do homem”.
Os que fazem o mal irão para a fornalha ardente – Não podemos ignorar o que Deus está dizendo para nós. Porque será feito desse jeito. É melhor que todos nós procuremos o quanto antes o Senhor, pois não sabemos o dia nem a hora que o Senhor virá nos buscar. O Catecismo (1034) ensina: “Jesus fala muitas vezes da “Geena”, do “fogo que não se apaga”, reservado aos que recusam até o fim de sua vida crer e converter-se, e no qual se pode perder ao mesmo tempo a alma e o corpo. Jesus anuncia em termos graves que “enviar seus anjos, e eles erradicarão de seu Reino todos os escândalos e os que praticam a iniquidade, e os lançarão na fornalha ardente” (Mt 13,41-42), e que pronunciar a condenação: “Afastai-vos de mim malditos, para o fogo eterno!” (Mt 25,41). O Salmista canta: “Porque os maus serão exterminados, mas os que esperam no Senhor possuirão a terra. Mais um pouco e não existirá o ímpio; se olhares o seu lugar, não o acharás”. (Sl 36, 9-10)
Os justos resplandecerão como o sol no Reino do Pai - O trigo é a boa semente que dá frutos, são os filhos de Deus. O Cardeal Sodano disse: “É verdade que ainda hoje, assim como na parábola evangélica, às vezes a semente cai em terreno refratário ou é sufocada pelos espinhos, mas é também verdade que há sempre uma parte que cai em terra boa e frutifica, inclusive o cêntuplo”. Deus é luz e nele não há trevas. Quanto mais nos aproximarmos de Deus, mais o nosso rosto brilhará. O rosto de Moisés brilhava todas as vezes que estava diante do Senhor no Monte Sinai. A palavra diz: “Mas todos nós temos o rosto descoberto, refletimos como num espelho a glória do Senhor e nos vemos transformados nesta mesma imagem, sempre mais resplandecentes, pela ação do Espírito do Senhor”. (2 Cor 3,18)

O grão de Mostarda

Dos versículos 31-32 - Trata-se da expansão do Reino de Deus no mundo, através do anúncio do Evangelho. Começa como um pequenino grão, mas sob a ação do Espírito Santo vai alcançando todas as partes do globo. Mas esse grão é também o próprio Cristo que se dá na hóstia consagrada para o mundo. O Beato João Paulo II disse que essa parábola significa o “desenvolvimento do Reino de Deus na história do mundo. Resumindo o reino é o próprio Deus que se faz presente no meio de nós, através da hóstia consagrada, a Sagrada Eucaristia”.
O Papa Bento XVI também explicou dessa forma: “O Criador e Senhor de todas as coisas fez-se “grão de mostarda” para ser semeado na nossa terra, nos sulcos da nossa história; fez-se pão para ser repartido, partilhado, comido; fez-se nosso alimento para nos dar a vida, a sua própria vida divina. Nasceu em Belém, que em hebraico significa “Casa do pão”, e quando começou a pregar às multidões revelou que o Pai o tinha enviado ao mundo como “pão vivo que desceu dos céus”, como “pão da vida”.
Também o Cardeal Tarcisio Bertone disse: “Jesus, que se fez semente, o menor de todos os grãos, para entrar nas fibras mais íntimas da criação e da humanidade, e transformar o cosmos e a história a partir de dentro; Jesus, que se fez Ele mesmo fermento, a melhor de todas as leveduras, a fim de que a humanidade tenha vida, e a tenha em abundância ( Jo 10, 10) e cresça até atingir a medida da sua plena maturidade, até se tornar “morada de Deus entre os homens”. (Ap 21, 3)

Fermento na massa

Dos versículos 33-35 - A Igreja tem a missão de anunciar o Evangelho a todos. Todos os fiéis batizados precisam ser fermento de amor, de misericórdia e de paz num mundo carente de Deus. Todas as pessoas que não tiveram ainda uma experiência pessoal com Deus, necessitam que levemos a eles a boa-nova da salvação, mesmo que sejamos poucos cristãos para uma população tão grande- a massa de homens e mulheres desse planeta. Mas não precisamos nos preocupar se somos em número menor, pois a nossa vontade e o nosso esforço levedarão a massa. A Palavra de Deus é quem realiza o milagre da conversão. Ela é o principal instrumento do evangelizador.
O Catecismo (543) explica: “Todos os homens são chamados a entrar no Reino. Anunciado primeiro aos filhos de Israel, este Reino messiânico está destinado a acolher os homens de todas as nações. Para ter acesso a ele, é preciso acolher a palavra de Jesus”. O Senhor disse: “O Reino dos céus é comparado ao fermento que uma mulher toma e mistura em três medidas de farinha e que faz fermentar toda a massa”. (V.33) Para Deus basta sermos só o fermento, porque o Espírito Santo é que fará crescer toda a massa.
O Papa Bento XVI explicou que “uma pequena luz pode iluminar toda a casa e o fermento, mesmo sendo pouco, pode fermentar toda a massa. Quantas vezes pequenos gestos de amizade e de boa vontade, simples gestos quotidianos de respeito, de atenção para com quem sofre ou de dedicação abnegada ao bem dos outros, fazem entrever o amor sem limites de Deus em relação a todos e a cada um”.
A Parábola do grão de mostarda e do fermento tem significados semelhantes na explicação do Beato João Paulo II: “O próprio Jesus ensina que aquilo que é pequeno e está escondido aos olhos dos homens, graças à intervenção onipotente de Deus, pode obter resultados inesperados”.
O Papa Bento XVI instruindo os pastores de nossa Igreja: “Como o pequeno grão de mostarda, quando se desenvolve, torna-se uma árvore frondosa que oferece hospitalidade aos pássaros do céu, assim também as vossas Igrejas podem oferecer acolhimento àqueles que buscam motivações válidas para a sua vida e para as próprias opções existenciais”. E o Papa Continua: “Devemos aceitar o mistério que a Igreja é ao mesmo tempo grande árvore e pequeníssimo grão. Na história da salvação é sempre Sexta-Feira Santa e, contemporaneamente, Domingo de Páscoa”.

23 de julho de 2011

Padre Dalmo e os Impossíveis: Os ingressos estão acabando

No dia 06 de agosto, a paroquia promove o II bailão, desta vez como tributo à Legião Urbana. Os ingressos já está quase acabando, portanto, procure nas comunidades e na secretaria, compre o seu e contribua com a comunidade São Daniel Comboni...




II CRISTOTECA - A BALADA CATÓLICA


Supostas aparições da Virgem e mensagens apocalípticas são falsas, adverte diocese de Fátima




A diocese de Leiria-Fátima emitiu no último 19 de julho um comunicado de esclarecimento sobre alguns grupos de oração que vêm difundindo “mensagens de videntes e de supostas aparições da Virgem Maria” a respeito de um iminente “fim do mundo” que não passam de uma mera invenção. O texto afirma que “hoje, há quem use o nome de Nossa Senhora ou o seu Imaculado Coração para divulgar esse tipo de mensagens” e “é preciso não se deixar enganar”.

“Quem pretende ter recebido uma visão a indicar o fim do mundo para breve ou indicando uma data está a inventar isso por sua cabeça e a mentir”, destacou o vigário geral da diocese de Leiria-Fátima, o Pe. Jorge Guarda em declarações reunidas pela Agência Ecclesia.

O sacerdote fala sobre grupos de oração “inspirados em diversas correntes de espiritualidade e de piedade, por vezes mariana e fatimita[relacionados à mensagem de Fátima]” nos quais “circulam mensagens de videntes e de supostas aparições da Virgem Maria”, com conteúdos “por vezes de teor apocalíptico a prever o fim do mundo”.

Tais mensagens, afirma o comunicado, “não merecem a adesão de cristãos com bom senso e reta formação na fé, pois contribuem mais para gerar medo e angústia nos corações de que para uma sadia prática da devoção religiosa e crescimento da vida espiritual”.

O texto destaca as palavras de Jesus no Evangelho sobre o fim do mundo: “Quanto àquele dia e àquela hora, ninguém o sabe: nem os anjos do Céu, nem o Filho, só o Pai”

A mensagem do Pe. Guarda afirma que chegaram ao bispo diocesano de Leiria-Fátima, Dom António Marto, “notícias de que, em alguns desses grupos, havia pessoas perturbadas por causa de mensagens amedrontadoras ou conselhos pouco sensatos para os comportamentos pessoais”.

“Perante mensagens que anunciam o fim do mundo e castigos para breve, os fiéis católicos não se deixem amedrontar. Jesus exortou os seus discípulos a não terem medo”, aconselha o vigário geral.

O Pe. Jorge Guarda deixa “recomendações para que os grupos de oração sejam saudáveis de relação com Deus e de sã devoção à Virgem Maria e as pessoas os possam frequentar com confiança”, pedindo aos seus promotores que “deem conhecimento deles aos respectivos párocos para que possam, assim, receber o seu acompanhamento espiritual e a sua ajuda fraterna”.

“Para evitar deixar-se enganar, recomenda-se aos fiéis católicos que cuidem da sua própria formação na fé”, acrescenta o sacerdote, pedindo aos mesmos que tenham cuidado “quando se lhe pede dinheiro nos grupos de oração”.

De acordo com o testemunho, reconhecido pela Igreja Católica, das crianças Francisco e Jacinta Marto (beatificadas por João Paulo II em 2000) e Lúcia dos Santos, conhecidas como os Pastorinhos de Fátima, ocorreram seis aparições da Virgem Maria na Cova da Iria e imediações, uma a cada mês, entre maio e outubro de 1917.

Nessas aparições, os videntes receberam o chamado “segredo”, divido em três partes, mas muitos movimentos e grupos têm falado, com insistência, num “quarto segredo”, relacionado com um cenário apocalíptico e o fim do mundo.

Em 2007, estando de viagem em Portugal, o Secretário de Estado do Vaticano, Cardeal Tarcisio Bertone, recusou a existência de qualquer «quarta parte» do segredo de Fátima, reafirmando que o mesmo já foi revelado na sua totalidade.

O cardeal italiano foi colaborador do cardeal Joseph Ratzinger, hoje Bento XVI, na Congregação para a Doutrina da Fé, tendo ambos trabalhado com o Beato João Paulo II na publicação da terceira parte do segredo no ano 2000.


O texto relativo ao segredo de Fátima pode ser consultado no site do Vaticano:
http://www.vatican.va/roman_curia/congregations/cfaith/documents/rc_con_cfaith_doc_20000626_message-fatima_po.html

 

Papa Convida a usar o Escapulário

“Sinal particular da união com Jesus e Maria”





Bento XVI convidou, neste domingo, a usar o escapulário de Nossa Senhora do Carmo, como “um sinal particular da união com Jesus e Maria”.


O Pontífice recomendou, em polonês, que se use este objeto de tecido, de cor marrom, que se pendura no pescoço, no final do seu encontro com os peregrinos por ocasião do Ângelus.


Não parece coincidência que o Santo Padre tenha dito estas palavras em polonês, pois João Paulo II usava o escapulário desde a sua juventude e via nele um símbolo de “defesa nos perigos, selo de paz e sinal do auxílio de Maria”.


As palavras de Bento XVI ressoavam um dia depois da celebração da memória de Nossa Senhora do Carmo, que recorda este gesto de devoção.


“O escapulário é um sinal particular da união com Jesus e Maria – disse. Para aqueles que não usam, constitui um sinal do abandono filial na proteção da Virgem Imaculada. Em nossa batalha contra o mal, que Maria, nossa Mãe, nos cubra com seu manto”, concluiu.


Como explica a Ordem dos Carmelitas Descalços no seu site, o escapulário, em sua origem, era um avental que os monges usavam sobre o hábito religioso durante o trabalho manual. Com o tempo, assumiu o significado simbólico de querer carregar a cruz de cada dia, como os verdadeiros seguidores de Jesus.


A própria Ordem esclarece que o escapulário não é “um objeto para uma proteção mágica (um amuleto)”, “nem uma garantia automática de salvação”, “nem uma dispensa para não viver as exigências da vida cristã, muito pelo contrário!”.



por Jesús Colina

Fonte: http://www.zenit.org

16 de julho de 2011

Quem não sabe perder, Perde Sempre


Quem não sabe perder, perde sempre
  Nem sempre as coisas são como queremos e idealizamos, e é bom que isso seja assim, pois nem sempre o que queremos é o melhor para nós. Toda       existência humana é marcada pela “condição de contradição”, ou seja, pela fraqueza, pecado e, conseqüentemente, pela queda. Perder faz parte da vida e aceitar a própria condição limitada é sinal de sabedoria. É horrível conviver com alguém que crê ser absoluto e acredita que todos têm o dever de satisfazer suas vontades.
Há muitos pais que estragam seus filhos, porque não lhes ensinam que o “não” também faz crescer, e que a queda pode também ensinar. Há filhos que não aprendem, em casa, que na vida nós também perdemos. Precisamos aprender a lidar com nossos fracassos. Muitos não suportam os fracassos próprios da vida, porque foram educados somente para ganhar. Para superarmos as quedas impostas pela vida precisamos ter a humildade de saber perder.
As pessoas não são obrigadas a ser e a fazer o que queremos; elas não são obrigadas a corresponder às nossas expectativas. A maturidade se expressa quando o coração consegue deixar livre um outro coração que não quis pertencer a ele nem corresponder a seus desejos.
O fato de sermos contrariados é uma experiência que nos faz mais fortes, pois, compreendemos que nossa maneira de pensar não é a única nem a melhor, e que não estamos sempre certos. Precisamos saber perder e sair de cena quando erramos, quando não estamos com a razão.
Perfeição cristã não significa ausência de erro, mas capacidade de perdoar e recomeçar sempre. Não temos a obrigação de acertar sempre, mas temos sim o dever de aprender com nossos erros. Quem não sabe perder perde sempre, pois acaba sendo humilhado pelo fato de não aceitar a própria fraqueza; querendo, assim, ser o que não é e fazer o que ainda não é capaz. Quem não sabe perder busca sempre levar vantagem sobre tudo e todos, tornando-se alguém insuportável e arrogante.

A humildade é escola da virtude, e grandeza é aceitar com ternura aquilo que se é.

A vida não diz sempre "sim", e a alma se torna grande quando é capaz de sorrir também diante do “não”. Aceitar que nem todos nos amam, que não somos bons nem os melhores em tudo, são expressões de um coração que compreendeu verdadeiramente o que significa “viver bem”. A derrota é sempre uma possibilidade de recomeço e crescimento para quem sabe bem aproveitá-la. Que esta não seja para nós motivo de paralisia, mas um trampolim a nos lançar nos braços da vitória.

Deus o abençoe!

Por :COROINHAS E AUXILIARES SÃO TARCÍSIO 

Música e cultura descartável (ainda bem que tem gente boa trabalhando)








Estas imagens representam coisas boas e coisas negativas quando o assunto é música... Você escolhe!Vivemos em uma cultura que vem declinando a cada instante. Vemos esta queda refletida nas artes, falerei sobre a música. No Brasil a música passou por inúmeros momentos de altos e baixos,  na década de 50-60 viveu um momento que para muitos é o mais fértil e representativo deste país, a Bossa Nova, a canção tomada de teor de protesto contra a ditadura, o tropicalismo e os primeiros acessos a um Rock produzido aqui. A década de 70 marcou um ponto baixo com o surgimento da música brega, o fortalecimento de um estilo de música sem compromisso com nada, que foi a jovem guarda, e com apenas os herdeiros da década anterior marcando terreno apresentando uma música consistente: Guilherme Arantes, Chico Buarque, Belchior, Rita Lee, Raul Seixas, os velhos e os novos baianos, Zé Ramalho, entre outros. Na década de 80, vimos algo diferente emergir, com a onda das rádios FMs, os novos Festivais de MPB, a nova roupagem do rock nacional, e além de alguns citados que permaneceram depois dos anos 70, tivemos novos nomes, tal como Eduardo Dusek, Beto Guedes, etc. junto com os roqueiros: Kid Abelha, Titãs, Legião Urbana, Engenheiros do Havaí, Lulu Santos, 14 Bis, A Cor do Som, Ultraje a Rigor, Ira!, Paralamas do Sucesso entre inúmeros outros. Este período acompanhava a crise do regime militar e a redemocratização, junto com uma expansão da indústria cultural e do mercado consumidor composto pela juventude.
A década de 90 dá início a um movimento orientado para baixo e vimos surgir um desinteresse por boa música, por exemplo, bandas que foram montadas em programas de auditório e que duraram pouco, todavia, enquanto duraram, lançaram decadência em sementes por todos os lados, o fricote, o pagode de baixa qualidade até chegar ao funk-brega, velhas e novas bandas baianas, entre outros enganos.  Rita Lee, Lulu Santos, Chico Buarque, Djavan, Titãs, entre outros, deveriam ter encerrado suas carreiras antes de nos brindarem com suas últimas produções, fragéis e sem significados. Outros, como Caetano Veloso, precisam ficar pegando carona em novos artistas como Maria Gadú, que embora tenha muito potencial, já se tornou objeto de consumo dos produtores, pois, mal lançou o primeiro cd, lançou um Ao Vivo, sinal de que ou nao se tem um segundo preparado ou se deseja explorar ao máximo financeiramente a imagem do primeiro. Para não dizer que não falei das flores, o Padre Fábio de Melo que teve um sucesso grandioso com o cd Vida., lançou o Iluminar, foi seguido do Iluminar ao Vivo, sinal de que não há preocupação com o trabalho artístico e sim com o que se pode alcançar financeiramente! Por falar em artes, você lembra quando foi a última vez que Roupa Nova lançou um cd inédito? Muita coisa interessante continua sendo produzida, mas não alcança espaço na mídia pois qualidade não é coisa que chame a atenção. Agora, o que chama atenção são corpos e letras pornográficas, ou então letras mediocres que nada dizem para a vida das pessoas e conduzem os adolescentes a infantilização como é o caso de Restart, Hori (que é um nome cujo significado nem os integrantes conhecem), entre outras bandas que são o que essa cultura mediocre pode produzir. Então, não adianta muito se queixar porque uma geração infantilizada não tem como produzir coisas que não sejam infantis.  A nossa música está mergulhada na miséria, sem criatividade, sem senso crítivo, sem fervor! Quem é responsável? A indústria cultural pode ser apontada como a principal responsável pelo atual estado da MPB. Como o mercado consumidor deve se expandir cada vez mais, deve ser produzido uma cultura igualmente descartável para que se venda mais.  O centro matriz do nosso sistema de produção que é acumulador de riquezas e detentor dos bens de consumo, é o próprio consumo. Quanto mais se consumir, mais dinheiro fica, então quanto mais diversa for o que se tem para oferecer melhor para o mercado. Os produtos devem ser renovados em pequenos ciclos, garantindo mais e mais oferta e consequentemente mais e mais consumo. Se um estilo musical permanecer por muito tempo, então o consumo sofrerá quedas portanto, não vale a pena investir em materiais artisticos consistentes, o bom é se investir em coisas que acabem logo.  Assim, a transformação da MPB em cultura descartável apenas mostra que a lógica do lucro domina tudo, inclusive a produção cultural, e isto mostra a razão de seu progressivo empobrecimento. Mesmo artistas que possuem história e rico material artístico deve se render a esta lógica como foi o caso do Nando Reis que lançou um dvd-cd, no qual beira a negação de seu trabalho com determinadas parcerias. 
Agora estamos em uma encruzilhada: sempre que há mudanças na forma de ver a história e a sociedade, isto se reflete nas artes. E estamos em um mundo que sofre mudanças capazes de desafiar a estrutura de pensar humano, pois estas interferem na vida do ser humano e na sua sociedade.  Isso pode se refletir igualmente na música, mesmo contra a vontade dos donos da indústria musical, já que a contradição consiste em ter que se divulgar aquilo que é contrário aos interesses por ser assunto em pauta. No mar da contradição pode nascer a esperança de uma retomada da boa música.

Eliana Ribeiro - Força e Vitória


D. Aldo fala pela primeira vez sobre câncer.


O arcebispo da Paraíba, Dom Aldo Pagotto, quebrou hoje o silêncio e falou pela primeira vez sobre o diagnóstico de câncer de próstata, recebido no começo do ano. Em entrevista ao repórter Henrique Lima, do Correio Debate (98 FM), ele refutou ainda especulações sobre afastamento da diocese.



“Só posso agradecer a deus porque estou espetacularmente bem, fazendo meu tratamento com discrição”, disse o arcebispo, que acrescentou:


“Não estou lamentando, estou agradeço a Deus, pois Deus sabe o que faz”.


D. Aldo disse que está enfrentado a doença com “grande ânimo e coragem”, mas admitiu que tomou um susto com a divulgação de seu estado de saúde.


“Foi muito infeliz que se deu o direito de divulgar uma fragilidade tão grande”. 


O arcebispo disse que se aborreceu especialmente com a informação sobre o suposto afastamento das funções.


“Fiquei muito sentido, muito aborrecido, mortificado, porque não corresponde a verdade”, garantiu. 


“Lançaram uma espécie de calúnia, que me magoou demais, e como sou muito discreto, não rebati – esta é a primeira vez que estou fazendo publicamente”, completou.


O arcebispo disse que tem mantido a agenda e não pensa em se afastar;
“Se a graça de Deus me conduzir, continuo assumindo minha missão, não me desfazendo dos compromissos. E se Deus me der saúde, bola para frente”.

Adriana Bezerra
Fonte:  Portal Correio

CRISMA NA PARÓQUIA SÃO PEDRO E SÃO PAULO


                 

A Paróquia abrirá no próximo sábado inscrições para o Sacramento da Confirmação. Este Sacramento é destinado a jovens e adultos. A idade mínima é 14 anos completos. Local da Inscrição: Secretaria Paroquial a partir do dia 16 de julho. As inscrições serão encerradas no dia 16 de agosto.

12 de julho de 2011

Deus está com você, pode acreditar!



Como você acordou hoje? Quais são seus planos para o dia de hoje? Você já rezou? Mesmo se a resposta for não Deus está contigo e fará com que seu dia seja maravilhoso, basta confiar Nele.

São tantas noticias de corrupção, desastres, assasinatos, nós gastamos tanto tempo com coisas tolas que as vezes nem percebemos o quanto somos previlegiados por ter Deus ao nosso lado, nos guiando e abençoando, basta acreditar e confiar Nele que tudo concorrerá para o seu bem.

Peça a Deus que guie seus passos no dia de hoje e amanhã faça a mesma coisa, e depois também, logo você verá como seus dias serão mais abençoados. Acredite no Altissimo, Naquele que morreu por todos nós. Permita que o senhor entre no teu coração, deixa Jesus te abençoar, "deixa Jesus te consolar, deixar Jesus te dá a tua salvação", não perca mais tempo volte para os braços do Senhor Jesus Cristo que te espera a cada dia.
"Aliás, sabemos que todas as coisas concorrem para o bem daqueles que amam a Deus," Romanos 8:28

10 de julho de 2011

FANATISMO E LIVRE INTERPRETAÇÃO - DESTRUIÇÃO NO SÍTIO SÃO JOÃO

CENÁRIO DE DESTRUIÇÃO: fanatismo de evangélico foi transformado em vandalismo; imagens mostram o desrespeito com a história de CG





O evangélico da Assembleia de Deus, Josinaldo Gomes de Lima, 25, invadiu na manhã desta sexta-feira, (07), o Sítio São João, que fica localizado na Avenida Manoel Tavares, em Campina Grande e deixou um verdadeiro rastro de destruição. Segundo o proprietário do Sítio, o vereador João Dantas, o ato não tem nada a ver com política e para ele foi uma ação de fanatismo religioso.


Josinaldo Gomes foi preso após uma perseguição feita pelo próprio João Dantas que na medida em que o seguia, monitorava a Polícia Militar. Desta maneira, conseguiram prender o acusado e sua justificativa foi o capítulo 20 do Livro de Êxodo que diz: “Não farás para ti imagem esculpida, nem figura alguma do que há em cima no céu, nem embaixo na terra, nem nas águas debaixo da terra. Não te encurvarás diante delas, nem as servirás; porque eu, o Senhor teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a iniqüidade dos pais nos filhos até a terceira e quarta geração daqueles que me odeiam e uso de misericórdia com milhares dos que me amam e guardam os meus mandamentos”.O vereador João Dantas declarou que o prejuízo histórico é incomensurável, mas garantiu que irá tentar repor as peças e que não seria esse vandalismo o motivo de fazer o Sítio São João deixar de existir. “Vamos tentar recuperar as peças que puderem ser recuperadas e vamos tentar ao longo do ano tentar reaver outras peças coseguidas em antiquários”, frisou.A área cenográfica foi quase totalmente destruída, entre os objetos destruídos estão: santos, máquina fotográfica “lambe-lambe”, fotos históricas da Rainha da Borborema com mais de 100 anos de existência. O vereador João Dantas afirmou que irá procurar os familiares de Josinaldo que residem na cidade de Esperança. “Um homem com esse tipo de distúrbio deve ter um tratamento urgente, ele não pode ficar solto. Já imaginou se ele invade uma residência, com crianças e idosos? O que ele faria? Dou graças a Deus que foi aqui no Sítio São João”, desabafou.

NOTAR A BELEZA DA VIDA

8 de julho de 2011

O PADRE DALMO FALA DO SHOW DE 6 DE AGOSTO

No próximo dia 6 de agosto, será apresentado no Centro Pastoral de nossa Paróquia mais um evento com o intuito de arrecadar verbas para a construção da Capela de São Daniel Comboni. Os ingressos podem ser adquiridos a partir do dia 12 de julho no valor de RS 5,00.

 Algumas palavras do Padre Dalmo sobre o evento que desta vez será uma homenagem a Renato Russo.

O evento do dia 29 de abril foi chamado de O bailão do Dalmão, como será o nome deste?

Aquele recebeu o nome de Bailão como clara homenagem a um outro grande compositor em atividade: Nando Reis que havia lançado um dvd - cd chamado de Bailão. A invenção foi do estagiário Vitório, para este do dia 6 de agosto, nós o chamamos de Por enquanto, nome de uma das músicas do primeiro cd da Legião Urbana.

Por que uma homenagem a Renato Russo?

Primeiro porque nós vivemos um momento de declínio na Música Brasileira. Os grandes compositores não conseguem mais tanto espaço porque a mídia produz apenas aquilo que é rentável, entao assistimos a um momento no qual a música tem vida curta, o sucesso é passageiro. Por isso propomos um retorno a um instante da nossa música de letras eram consistentes e com força para durar muito tempo, para isso, escolhemos aquele que sem dúvida é um dos maiores compositores da história de nosso país. Segundo, porque este ano estaremos completando 15 anos sem Renato Russo. Nada mais justo do que uma homenagem a um artista que marca uma parte da história recente de nossa música.


Fale sobre a finalidade deste evento.

Primeiramente, é a oportunidade de reunir as pessoas para um momento sadio de boa música, para uma boa conversa e para cantar mesmo. Depois, é um meio de se arrecadar verbas para uma obra que nós estamos prestes a iniciar, terceiro, é uma oportunidade de aproximar pessoas. Este um dos papéis da boa música.

E o repertório?

Na verdade, o repertório já está montado há algum tempo. Desde a montagem do repertório para o dia 29 de abril que este evento está montado, com músicas escolhidas. No mesmo estilo Legião, arranjos rápidos, com batidas que se harmonizam com a valorização dos instrumentos de corda. Podemos adiantar que teremos músicas de todos os cds da Legião.

Quais músicas já podem ser adiantadas aqui?

Nosso repertório reúne canções que são muito conhecidas, mas também tem espaço para músicas que não foram tão badaladas. Então, podemos esperar entre as nem tanto badaladas, Perdidos no Espaço, Marcianos invadem a terra e Comédia Romântica. Se ainda não forem conhecidas, dá tempo. Mas nosso evento contará com três músicas que não são de Renato e que abrirão o evento: O segundo Sol, Pra você guardei o Amor e Relicário. Que são canções do Nando Reis, o que dá uma idéia de continuidade já que estas três músicas estiveram no Bailão do dia 29 de abril.


Isso seria sinal de um novo artista para um novo evento?

Quem sabe!?